Saudade de Infância





Tô matando a saudade
Saudade de um abraço, de um carinho de vó
Saudade da fogueira na porta de casa
Saudade de um céu infinitamente estrelado
Clareando o brêu do sertão
Saudade do pé no chão, do feijão, do leitão
Saudade do sopro do vento no mato
das pessoas passando na estrada
Saudade da inocência da infância e adolescência
Agora sinto um cheiro de pequi... hummmm
Saudade das roseiras do quintal
do som da máquina de costura, do perfume das flores
Saudade do leite in natura 
Do café com a doçura que cura qualquer amargura
Saudade do terreiro batido no chão
Saudade de ver o sol se pôr da soleira do porta
Saudade das manhãs sem pão
Com muita chiringa, chimango e requeijão
Saudade dos namoricos no portão
Saudade de um tempo de alegria e diversão
Saudade do som da sanfona, das festas do sertão 
Viva São João!!!
Êêêêê Saudade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se expresse... risque, rabisque!!!